Ideia+

Ideia+: mais informação na rede

Espaço dedicado à divulgação de eventos de cultura libertária.

Centenário do jornal A Batalha | 45 anos da revista A Ideia

Convite

EXPOSIÇÃO | 9 out. ’19 | 17h00 | Mezanine | Entrada livre / até 27 dez. ’19
LANÇAMENTO | 9 out. ’19 | 18h00 | Auditório | Entrada livre

Exposição comemorativa dos cem anos da fundação de A Batalha (1919-1927), com curadoria de António Baião (CEPS), António Cândido Franco (UE) e João Freire (ISCTE-IUL).

No dia da inauguração António Ventura apresenta a reedição do livro de Jacinto Baptista Surgindo vem ao longe a nova Aurora…, da editora Letra Livre.

Próximos eventos no âmbito dos cem anos da fundação de A Batalha:

Quatro itinerários anarquistas: Botelho, Quintal, Santana e Aquino
LANÇAMENTO | 12 nov. ´19 | 18h00 | Auditório | Entrada livre

Lançamento da obra de João Freire, numa edição A Batalha, apresentada por José Pacheco Pereira.

A Batalha: 100 anos
COLÓQUIO | 10 dez. ’19 | 15h00 | Auditório | Entrada livre

Colóquio organizado pelo jornal A Batalha, pelo IHC – Instituto de História Contemporânea, pólo de Évora, e pelo CEPS – Centro de Ética, Política e Sociedade, da Universidade do Minho.

Mais informação no sítio da BNP, aqui.


Dia Global do Decrescimento (1 de Junho)

Rede para o Decrescimento junta-se à celebração internacional do Dia Global do Decrescimento (1 de Junho) com o convite a uma caminhada por diferentes zonas urbanas, predominantemente da freguesia de Campolide, atravessando o vale de Alcântara junto ao Aqueduto, a que se seguirá um convívio e picnic no Parque Florestal de Monsanto.

Teremos oportunidade de conhecer um projecto de agrofloresta no Bairro da Bela Flor e de conversar sobre os fundamentos e propostas dos movimentos decrescentistas, e sobre qual a sua relevância para a sustentabilidade e o bem-estar nos meios urbanos. Pretendemos com esta proposta promover as práticas decrescentistas do conhecimento do território, da demora, da convivialidade e da frugalidade.

Evento FBhttps://www.facebook.com/events/624631721334842/

Percurso previsto:

Início no Jardim da Gulbenkian, Rua Marquês da Fronteira, Rua D. Carlos de Mascarenhas, Alto do Carvalhão, Jardim Panorâmico da Bela Flor, Rua da Pedreira do Fernandinho (Bairro da Bela Flor), Visita ao Projecto ‘Bela Flor Respira’ (c/ Luís Camacho), Travessia do Vale de Alcântara pela zona de requalificação e a nova ponte ciclável, passagem junto à Estação de Campolide, subida da colina do Bairro da Liberdade/Serafina, Rua Inácio P. Sanchez, Rua do Cotovelo, Rua da Igreja, Vila Ferro, entrada para o parque florestal, Parque da Pedra.

Picnic e convívio: na zona de merendas junto ao Parque da Pedra.

O percurso de regresso dependerá do local para onde cada um pretende voltar: opção A, regresso à Gulbenkian pela ciclovia (Av. Gen. Correia Barreto, Rua de Campolide, Praça de Espanha); opção B, regresso ao Bairro da Bela Flor via Estação de Campolide e ponte ciclável.

Pontos de Encontro e horas:

As pessoas que se quiserem associar poderão fazê-lo em diferentes pontos do percurso, dependendo das suas disponibilidades. Em cada ponto há possibilidade de estacionamento, mas recomendamos que usem transportes públicos ou bicicleta.

Ponto de Encontro 1: Jardim da Gulbenkian, 8h30, no relvado atrás do edifício principal (junto ao lago); saída para Campolide às 9h00.

Ponto de Encontro 2: Bairro da Bela Flor (Campolide), 10h, Talude da Rua da Pedreira do Fernandinho perto do café da Bela Flor; saída para Monsanto às 10h30.

Ponto de Encontro 3: zona de merendas junto ao Parque da Pedra (P.F. Monsanto): 12h30-14h30; acesso pela Estrada da Serafina junto à antiga casa do guarda florestal.

Regresso: Opção A ou B, 14h30-15h30

O que trazer:

Roupa e calçado confortável, chapéu, água e snacks para o caminho; comida e uma bebida para o almoço partilhado; e, claro, boa disposição e disponibilidade para observar/escutar e conviver.

Organizadores e contactos: Álvaro Fonseca (933997045); Duncan Crowley (969718451) e Luís Camacho (935519816)

Agradecemos o apoio do Projecto ‘Bela Flor Respira‘(1) e ‘Ecocity Lisboa‘(2):

(1) https://www.youtube.com/watch?v=Y0x7V4ltwso

(2) https://www.facebook.com/Ecocity.Lisboa/

Juntem-se a nós e/ou divulguem.

Saudações decrescentistas,

Álvaro Fonseca

(pelos organizadores do evento)


Ferreira de Castro (1898-1974)

O Centro de Estudos Ferreira de Castro celebra nos dias 24 e 25 de Maio, o 121º aniversário de nascimento do escritor (contactos: Salgueiros  I  3720-189 OSSELA  I  PORTUGAL  I  Tlf.: (00 351) 256 482 037 – www.ceferreiradecastro.org e também no facebook)

palestra e debate sobre o movimento dos coletes amarelos em frança. Com René Berthier na Sirigaita (lisboa, 3.maio)

O movimento dos Coletes Amarelos desceu pela primeira vez às ruas de França a 17 de Novembro de 2018, manifestando-se contra o aumento dos preços dos carburantes. Em Portugal, foi encarado no início com uma certa desconfiança por causa de uma eventual participação da extrema-direita. No entanto, rapidamente se tornou num fenómeno de participação popular alheio a partidos políticos e que escapa às análises tradicionais de jornalistas e analistas, mais habituadxs a modelos de protesto formatados e hierarquizados.

Após cinco meses de mobilização, milhares de “coletes amarelos” continuam a sair às ruas todos os sábados, em protestos que há muito ultrapassaram a mera reivindicação pela descida dos preços dos carburantes, protestos estes marcados por confrontos com as forças policiais de que já resultaram mais de 200 prisões e inúmeros feridos graves. A polícia tem atacado sistematicamente os manifestantes com granadas de dispersão, gás lacrimogéneo e balas de borracha, exprimindo toda a sua tradicional violência.

Mas, na realidade o que esteve na origem deste movimento? E, sobretudo, que futuro terá? Como irá acabar? Um novo Maio 68 ou uma deriva reformista de mais um movimento político candidato a eleições?

René Berthier, activista social, responderá a estas e a outras perguntas durante a apresentação / debate sobre este movimento que se realizará na Sirigaita (Rua dos Anjos, 12F, Lisboa), no dia 3 de Maio, às 18h30.

Escrito(s) a vermelho de Voltairine de Cleyre (1866 – 1912) – Lançamento na livraria Tortuga (dia 19 de Abril de 2019)

Que melhor dia para apresentar a selecção de textos de uma das mais influentes anarquistas da América do Norte (herética, feminista e radicalmente ateia), senão o dia que celebra o martírio daquele personagem de ficção que simboliza o absolutismo misógino que sofremos desde há mais de dois mil anos.

No dia 19 de Abril, a partir das 18h, na livraria Tortuga, será apresentado o livro:Escrito(s) a vermelho de Voltairine de Cleyre (1866 – 1912), editado pela Barricada de Livros, 2019. A sessão contará com a presença do editor Mário Pinto e do músico Alexandre Rendeiro.

Voltairine de Cleyre (com a idade de 35 anos) em Filadélfia (E.U.A.).
Fotógrafo desconhecido
Voltairine de Cleyre (com a idade de 35 anos) em Filadélfia (E.U.A.).
Fotógrafo desconhecido

Voltarine de Cleyre (Leslie, 1866 – Chicago, 1912) foi uma das mais activas e influentes figuras do conjunto de mulheres e homens, autóctones ou emigrantes, que corporizaram o movimento anarquista norte-americano da sua época.

Mulher, Feminista, Anarquista, Voltairine introduziu uma perspectiva anarquista no feminismo da época, incorporando-lhe uma carga de radicalidade e de modernidade que este não possuía e, simultaneamente, deu uma perspectiva feminista ao anarquismo, 
num tempo em que a acção e a importância da mulher activista eram apagadas ou desconsideradas, como infelizmente ainda acontece, mesmo entre libertários. (…) A presente antologia de inéditos em língua portuguesa proporciona ao potencial leitor a oportunidade de (re)conhecer a essência da sua obra, através de um conjunto de textos — ensaios, poemas e um conto — escritos entre 1890 e 1912, que incidem sobre diversos temas e reflectem, no fundo, as suas preocupações como mulher e activista. Lê-la é dar dignidade a uma vida passada em plena revolta contra o capitalismo, o Estado, o consumismo e a autoridade.

Informação do editor

A livraria Tortuga fica no número 217 da rua da Penha de França em Lisboa.

Revolução Russa: outros actores, cenários, abordagens e perspectivas

Angela Roberti, Professora Adjunta do Departamento de História da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, juntamente com Lená Medeiros de Menezes e Érica Sarmiento, da mesma instituição, lançam no próximo dia 10 de Abril de 2019 uma obra colectiva sobre a Revolução Russa e seus desdobramentos. A obra, organizada pelas três académicas, é fruto das discussões oriundas dos eventos organizados nos 100 anos dessa emblemática revolução, tendo sido realizada em parceria com alguns colegas do Brasil e do exterior.

55-21-2334-0094

ENCONTROS DOS BARDINHOS: «Culturas e Dissídios»

O nono encontro é também organizado por Joèlle Ghazarian. Decorrerá nos dias 16 e 17 de Fevereiro de 2019 na Quinta dos Bardinhos, situada entre Portalegre e Castelo de Vide. Do programa consta, entre outras actividades:

GESTÃO DEMOCRÁTICA DO COLAPSO NO CAPITALISMO TERMINAL? Por Corsino Vela.

O GRUPO SURREALISTA DE MADRID E AS SUAS ACTIVIDADES MULTIFORMES. Por Eugenio Castro e Jose Manuel Rojo, com apresentação de António Cândido Franco.

O programa completo, com as indicações necessárias para poder participar, pode ser descarregado aqui.

Lançamento d’ A Ideia 84/86  (2018) no Museu do Aljube.

Nota brevíssima sobre a sessão de apresentação que decorreu no passado dia 26 de Janeiro com fotos e imagem do cartaz para memória do evento.


Revisitar António Sérgio Cinquenta Anos Depois

O Colóquio Revisitar António Sérgio Cinquenta Anos Depois terá lugar na Casa da Escrita, em Coimbra, no dia 28 de Fevereiro de 2019. Trata-se de uma jornada dedicada a temas de Economia e Sociedade relacionados com a obra de António Sérgio. O programa articula-se com outros colóquios, sobre temas diversos, que terão lugar em diversas cidades do país ao longo do ano de 2019, assinalando o cinquentenário da morte de António Sérgio.
A organização pertence à FEUC, em cooperação com a Câmara Municipal de Coimbra, a CASES, o CES e o CEIS20. O Colóquio de Coimbra inclui uma exposição bibliográfica sobre a obra de António Sérgio, que estará disponível na Biblioteca da FEUC. A inscrição é gratuita e pode ser feita para os seguintes emails: agarrido@fe.uc.pt. O cartaz com o programa do evento pode ser descarregado em baixo.

Anarquismo em questão: conceitos, práticas, circulação e trajetórias. – Simpósio no Recife (Brasil), de 15 a 19 de julho de 2019. Inscrevam-se e divulguem.

O CCL precisa do teu apoio!  Divulgamos aqui o apelo de solidariedade a todos os militantes e simpatizantes para apoiarem este centro de cultura anarquista, mais uma vez ameaçado na sua sobrevivência pela especulação imobiliária patrocinada pelo Estado democrático.

A Batalha: Nº 281 – Agosto-Outubro 2818

Índice deste número (divulgação)

IV edição do Simpósio de Educação: Cotidiano, História e Políticas  é promovido pelo Curso de Licenciatura em Pedagogia do Centro Universitário Geraldo Di Biase. Esta edição tem o tema: “Educação Infantil em perspectiva: concepções e práticas” e terá em sua Conferência de Abertura o Professor Rômulo dos Santos Paulino (LAB ARTE/FEUSP) com a temática “Infância e liberdade”. O evento decorre de 16 a 19 de Outubro em Volta Redonda, Rio de Janeiro (Brasil). Estão abertas as inscrições. Mais informação disponível no sítio educação libertária aqui.

4º Fórum Geral Anarquista 2018 – São Paulo – Brasil| Programação

Programa deste evento publicado no sítio da Liga Anarquista do Rio de Janeiro.

Encontro dos Bardinhos: Culturas e Dissídios (Junho 2018)

Programa do encontro anual organizado por Joel Ghazarian que decorrerá nos dias 16 e 17 de Junho na Quinta dos Bardinhos, próximo de Portalegre.

Encontro sobre Imprensa Libertária 

No Centro de Estudos Libertários / A Batalha  (Azinhaga da Alagueza, Lote X, c/v esq., Olivais Velho, Lisboa), dia 2 de Junho de 2018, 18 horas.

8ª conferência da Rede de Estudos Anarquistas da América do Norte

Divulga-se o apelo da organização para apoiar esta conferência.

Homenagem a José Maria Carvalho Ferreira

Breve nota sobre a sessão de lançamento do livro UTOPIA, ANARQUIA E SOCIEDADE no dia 7 de Junho de 2018.

Um Projecto Libertário, sereno e racional

Nota sobre a sessão de lançamento do livro de João Freire no dia 1 de Junho de 2018 na Feira do Livro em Lisboa.

Henrique Tavares: obra completa

Portugal : a revolução impossível?

unnamed

Na tarde de 25 de Abril de 2018 decorreu no auditório do do Museu Arqueológico do Carmo, o lançamento do livro de Phil Mailer, Portugal: a Revolução Impossível?, texto traduzido por Luís Leitão e editado pela Antígona. A obra descreve de forma analítica os acontecimentos revolucionários em Portugal entre o dia 25 de Abril e o 25 de Novembro, sob o olhar participante de um militante anarco-sindicalista irlandês. A nota introdutória de Maurice Brinton sobre este texto foi publicada no Solidarity (Londres) em Outubro de 1976 (e pode ser lida aqui em inglês). A obra, que sai agora pela Letra Livre, foi publicada parcialmente em português, pela primeira vez, em 1978 na Afrontamento. Em 2012, teve uma nova edição inglesa.

Anarquismo na América: simpósio

Informação sobre este simpósio integrado no VI Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas (NUCLEAS), que ocorrerá entre os dias 27 e 31/08, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Campus Maracanã, Rio de Janeiro- RJ.

Nordés, o novo periódico anarquista galego

Fruto da colaboração entre os projectos A irmandade da costa e Ardora (s)ediçons anarquistas, nasce este periódico de carácter mensal com a idea de difundir nas ruas información crítica em papel.

A Batalha prepara-se para celebrar o seu centenário

A 23 de Janeiro de 1919 surgia o primeiro número do diário A Batalha. Inicialmente, o jornal era propriedade da União Operária Nacional, mas, poucos meses mais tarde, com a formação da Confederação Geral do Trabalho, passaria para a égide deste nova organismo sindical.

Imigração e Anarquismo: experiência migrante e militância libertária

Dossier temático do número 4 da Navegar Revista de Estudos de E/Imigração do Laboratório de Estudos de Imigração (LABIMI-UERJ), Rio de Janeiro.

Lançamento d’ A Ideia no Museu do Aljube em 16 de Dezembro de 2017

Breve nota informativa sobre este evento.