Kropotkine – O Governo Revolucionário

A reprodução exacta da edição portuguesa de 1892 (da iniciativa do Grupo Anarquista “Revolução Social”, de Gaia), solução a que fomos levados por motivos económicos, aproveitamos para manter o pósfácio do tradutor, Gonçalves Viana. Além do seu interesse puramente histórico, ele fornece-nos igualmente uma curiosa análise da conjuntura política da época, após a derrota do 31 de Janeiro de 1891 no Porto, justamente. O Governo Revolucionário de Kropotkin servia aos camaradas da época para criticar o republicanismo ascendente. Hoje, ele serve-nos ainda na crítica do marxismo e do espírito autoritário que lhe é congénito, seja na sua versão reformista-parlamentar, seja na modalidade burocrática-estalinista dos países de Leste, seja ainda no bolchevismo revolucionário de maoistas e trotskistas.

Maio de 68 por Tomás Ibañez

Un torrente emocional, afectivo, político, que nos arrastró con una fuerza increíble. Y que consiguió transformar en muy poco tiempo, y a veces para siempre, los deseos, sí, hasta los deseos, las formas de ser y las formas de pensar de muchísimas personas.